Remédios Naturais Leidiana Torres

Tudo sobre o Ginko Biloba Que Você Precisa Saber

Nascida na China e famosa há milênios, o Gincko Biloba se tornou o queridinho de muitas pessoas graças às suas propriedades medicinais. A planta é conhecida por melhorar o fluxo sanguíneo, tornar o sangue mais oxigenado e melhorar a circulação de nutrientes pelo corpo.

Mas o poder dessa erva chinesa não para por aí. Uma porção de gincko biloba pode fazer muito mais por sua saúde. Você conhece esses outros benefícios? Sabe como ingerir a erva para aproveitar todo o seu potencial?

Não? Então fique tranquilo. Aqui, vamos explicar tudo o que você precisa saber para extrair o melhor do gincko biloba e ter uma saúde incrível.

Benefícios do gincko biloba

Tudo sobre o Ginko Biloba

Tudo sobre o Ginko Biloba

Previne a trombose

A trombose é uma doença muito perigosa, provocada pelo acúmulo de trombos, ou coágulos, que podem prejudicar a circulação de áreas importantes, como o cérebro ou o coração. O consumo regular do gincko biloba previne a ocorrência da doença, já que evita que esses coágulos se formem e “caminhem” pelo organismo.

Previne a hipertensão

A erva medicinal chinesa estimula a produção do óxido nitroso. Esse composto é vasodilatador, facilitando assim a circulação do sangue e reduzindo a pressão necessária para que o coração o bombeie.

Aumenta a memória e a capacidade de concentração

Com a rotina corrida que vivemos atualmente, é natural que estejamos tão cansados que nossa memória falhe ou nossa capacidade de concentração diminua bastante. Quando tomamos gincko biloba regularmente, podemos sentir, em pouco tempo, os benefícios nesses dois pontos.

Isso porque o gincko melhora a entrada da colina, uma substância fundamental para o bom funcionamento dos neurônios, aumentando não só a concentração, como também a memória, principalmente em idosos, que sofrem com esquecimentos constantes.

Aumenta a circulação sanguínea no cérebro

A melhoria na circulação sanguínea que o gincko biloba produz em todo o corpo é refletida também no cérebro, onde contribui com maior oxigenação desse órgão tão importante. Além de melhorar a atividade cerebral, a erva se mostrou eficaz no tratamento dos casos leves de labirintite, já que ajuda a reduzir a tontura sentida pelas pessoas que possuem a doença.

Melhora a circulação sanguínea

Já falamos sobre essa qualidade em alguns pontos do texto, mas esse efeito é tão benéfico à saúde que cabe ressaltá-lo sempre. O gincko biloba facilita a circulação do sangue no corpo graças à sua ação vasodilatadora, o que reduz o risco de tromboses, controla a pressão e torna o sangue menos concentrado, já que diminui a concentração de plaquetas, que “engrossam” o sangue.

Melhora a saúde ocular

A ação antioxidante do gincko biloba diminui as chances de que a pessoa desenvolva doenças oftalmológicas, diminuindo também as lesões medulares e a degeneração macular, provocados pela idade ou por doenças como o diabetes.

Como tomar o gincko biloba?

Embora se trate de uma erva medicinal, você não vai encontrar por aí, chás de gincko. Em geral, a erva é vendida em formato de cápsulas, que são comercializadas em farmácias especializadas na venda de produtos naturais.

Essas cápsulas podem ser tomadas diariamente, em quantidades que variam entre 80 a 240 mg diários. Entretanto, os efeitos mais notáveis de melhorias à saúde provocados pela erva podem ser conferidos em pessoas que tomam três cápsulas de 80 gramas por dia.

Quais os cuidados na hora de tomar o gincko biloba?

Como tomar o gincko biloba?

Como tomar o gincko biloba?

Embora se trate de um produto natural, é preciso alguns cuidados na hora de tomar o gincko biloba. Por exemplo, a erva não é recomendada para hemofílicos ou pessoas que tomam medicamentos anticoagulantes e antiplaquetários, por causa de seu impacto sobre a circulação sanguínea.

O gincko biloba não deve ser utilizado também poucos dias antes da realização de cirurgias, pois há o risco de sangramentos.

Gestantes, mulheres que estejam amamentando e crianças deve usar o produto apenas com orientação médica, e nas quantidades indicadas pelo especialista.

O gincko biloba tem efeitos colaterais?

Algumas pessoas podem ter algumas reações quando usam a erva. Entre os problemas apresentados estão enjoos, gastrite, dores de cabeça. Raramente alguns relataram tontura, queda de pressão arterial ou, ainda, pele sensível e irritação.

É perigoso consumir gincko biloba em excesso?

Por se tratar de uma planta, o consumo em excesso não é exatamente perigoso. O que pode acontecer com quem exagerar na dose podem ser alguns efeitos colaterais, como dores de cabeça, enjoos e gastrite.

Mas, se a pessoa tomar uma dose muito excessiva, esses sintomas podem evoluir para problemas de coagulação, diarreia, e até sangramentos.

Afinal, o gincko biloba é seguro?

A resposta é sim. Como se trata de uma erva medicinal, sem efeitos colaterais relevantes, é muito seguro, e até benéfico, tomar gincko biloba.

Quer mais qualidade de vida, ser mais produtivo no trabalho e até reduzir as chances de sofrer doenças crônicas? Então conheça o gincko biloba. Você, com certeza, vai se surpreender com os resultados.

Leidiana Torres

Sobre o autor | Website

Bacharel em Enfermagem e fundadora do Mente Sã Corpo São. Contato: leidianatdn@gmail.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.