Doenças Leidiana Torres

Sintomas De Fibromialgia: Quais São As Causas E Tratamentos?

Todos precisam estar atentos a condições de saúde que podem prejudicar o funcionamento do organismo. Se você desconfia que está com algo, é interessante procurar por mais informações, de bases especializadas. É o que vamos fazer hoje.

Nesse artigo, vamos falar sobre fibromialgia, um problema que acomete uma parte considerável da população e pode trazer muitos prejuízos, além de se estender por um longo prazo. Entenda mais sobre a doença a seguir e procure o tratamento adequado!

O que é a fibromialgia?

Quando estamos falando sobre fibromialgia, a primeira coisa que vem à cabeça são dores musculares muito fortes. Essa síndrome é caracterizada por uma dor generalizada pelo corpo, em proporções que alteram o cotidiano da pessoa.

Geralmente, as dores fortes estão localizadas na maioria dos tecidos do corpo, como os músculos, os tendões e as articulações. Como você já deve saber, essas são realmente dores intensas, que podem levar a longos períodos de sofrimento.

Deve-se pontuar, também, que a fibromialgia aparece em adultos, com idade mais avançada. É comum, por exemplo, que mulheres que estão passando pela menopausa sofram dessa síndrome, assim como as pessoas de idade superior a 40 anos. Porém, é a partir dos 30 que podemos começar a ter contato com as dores.

O fator da idade é realmente um diferencial. Mas ele só torna o desconforto mais intenso. Isso significa que os primeiros sinais podem surgir antes da idade avançada, mas na maioria das vezes podem ser ignorados. Afinal, quando sentimos dores pelo corpo que não parecem ter uma causa, apenas tomamos um analgésico e não damos muita atenção a isso.

Causas da fibromialgia

Causas da fibromialgia

Causas da fibromialgia

O fibromialgia pode ter diferentes causas. A primeira delas é o fator genético, que pesa na hora de desenvolver e avaliar as doenças. Se uma pessoa da família do paciente já tiver desenvolvido essa condição, é provável que as bases do aparecimento sejam genéticas.

As infecções por algumas classes de vírus também podem ser fatores que propiciam o desenvolvimento dessa condição de saúde. O mesmo ocorre com algumas doenças autoimunes, como é o caso de pessoas que possuem lúpus.

Alguns distúrbios bastante comuns nos dias de hoje também podem criar um ambiente propício ao surgimento de fibromialgia, como o sedentarismo excessivo, os problemas de depressão e ansiedade e qualquer tipo de distúrbio do sono.

Por fim, vale mencionar também que essa doença pode ser fruto de algum trauma emocional ou físico de grande porte, uma vez que as dores estão muito associadas ao fator emocional. Esse seria um fator de risco para que a condição se inicie.

Sintomas da fibromialgia

Além da dor, que pode ser sentida em todos os sistemas, sem distinções, você ainda pode se sentir muito cansado, mesmo após um período satisfatório dormindo. A fadiga é um dos principais sintomas associados à presença da dor. Em termos simples, você fica sem vontade de desempenhar atividades.

A dor de cabeça ou enxaqueca também é muito presente, e é um dos sintomas que se destacam, pois geralmente ela é difícil de aguentar. Você ainda pode ser, em associação a esse fator, uma perda de memória constante, e dificuldades para se concentrar em tarefas simples.

Por fim, você pode sentir sintomas secundários, como formigamento nas extremidades, principalmente nas mãos e nos pés, e uma falta de capacidade para desempenhar exercícios físicos, sejam eles quais forem.

Se você não está conseguindo realizar atividades que envolvam a memória ou qualquer função cognitiva, pode ser pois o cérebro está ocupado tentando combater a dor. A dor, ou na realidade qualquer desconforto, são sintomas que mais retiram nossa capacidade de concentração.

Algumas regiões doem mais que outras, e elas são: coluna, nádegas, joelhos e a região da bacia, que pode inclusive gerar uma síndrome do intestino irritável nessa porção inferior do nosso corpo.

Tratamento para fibromialgia

Devemos pontuar que a fibromialgia é uma doença crônica, mas que pode ser controlada por meio de medicamentos e técnicas não medicamentosas. Durante a consulta e depois do seu diagnóstico, o médico especialista vai te oferecer analgésicos mais controlados para que você não precise sentir dor toda hora.

Ele também pode te recomendar alguns exercícios, como a fisioterapia, que vai aliviar muitos dos pontos mais tensos do seu corpo, e diminuir a dor. Vale a pena investir em profissionais de massagem, que podem também ajudar no alívio.

A pessoa que é acometida com essa doença sofre muito com as dores e com a questão de ser uma condição crônica. Por conta disso, é recomendado que o paciente seja encaminhado para um psicólogo especializado em terapia cognitivo-comportamental.

Esse tipo de profissional vai ajudar o paciente a não pensar negativo sobre a sua condição, e a ver perspectivas, o que pode ser complicado em períodos de dores intensas. Vale pontuar, também, que essas dores podem ser em partes por conta do emocional da pessoa, que fica muito alterado nesses momentos.

Leidiana Torres

Sobre o autor | Website

Bacharel em Enfermagem e fundadora do Mente Sã Corpo São. Contato: leidianatdn@gmail.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.