Remédios Naturais Saúde e Bem Estar Leidiana Torres

Ginkgo Biloba: Benefícios, efeitos colaterais e como tomar

O QUE É O GINKGO?

O ginkgo, também conhecido como Ginkgo biloba, é uma árvore decidual muito original que se acredita não ter parentes vivos. Descrita por Charles Darwin como um fóssil vivo, as árvores Ginkgo existem há mais de 250 milhões de anos,o que significa que elas estavam no mesmo estado quando os dinossauros vagavam pela terra!

Sendo nativa da China, o Ginkgo foi salvo da extinção pelo significado cultural que o povo chinês colocou na árvore. As árvores em si são frequentemente plantadas ao redor dos templos, enquanto as nozes da árvore são usadas na medicina tradicional chinesa e as folhas nas práticas modernas.

A árvore em si pode crescer até 50 metros de altura, embora seja mais comum que o seu crescimento atinja os 35 metros. Tem uma aparência um pouco estranha, pois os galhos crescem em padrões muito erráticos, fazendo com que muitas vezes pareça irregular e assimétrico.

São as suas folhas o objeto de maior interesse, pois estudos científicos recentes mostraram que os compostos químicos dentro delas contêm valiosas propriedades neuroprotetoras, além de melhorar a função circulatória.

HISTÓRIA DO GINKGO

Acredita-se que as árvores de ginkgo sejam as árvores vivas mais antigas do mundo. Algumas espécies foram datadas até o período Permiano, cerca de 248 – 286 milhões de anos atrás! Cientistas descobriram fósseis que sugerem que espécies de Ginkgo estão espalhadas pela Europa, Ásia e América. No entanto, apenas uma espécie, Ginkgo biloba é comprovadamente existente até hoje.

A sobrevivência do Ginkgo biloba foi encontrada por um cientista alemão devido à sua excelente adaptabilidade e evolução. Através disso, conseguiu sobreviver durante a era glacial, onde outras espécies de Ginkgo desapareceram. Esta adaptação significa que elas são diferentes de suas “versões” antigas, mas não necessariamente para o pior, já que possuem muito valor medicinal.

Para dar um exemplo da adaptabilidade e resiliência do Ginkgo, preste atenção nisso: há uma árvore de Ginkgo, particularmente grande e antiga, crescendo em Hiroshima a apenas 1,1 km de onde a bomba atômica foi lançada. Após a guerra, a árvore ainda estava em pé, saudável e até hoje não mostrou sinais de deformidade.

As incríveis qualidades do Ginkgo foram reconhecidas pela primeira vez pelos chineses. A noz de ginkgo tem sido usada há mais de 5000 anos para tratar doenças como asma e poliúria. No entanto, o uso médico tradicional das nozes não foi registrado até 1578. Embora, foi na a década de 1950 que quando a medicina ocidental começou a olhar com mais atenção para o seu uso.

Isso levou à descoberta de seus compostos químicos poderosos e a potencial aplicação das folhas da árvore Ginkgo, que agora foram inseridas na Matéria Médica Chinesa e são usadas como parte integrante da medicina tradicional do país. Até hoje, o Ginkgo é o suplemento de ervas mais usado no mundo para melhorar a função cognitiva.

EFEITOS DO GINKGO

Os principais benefícios que podem ser obtidos ao tomar Ginkgo são o aumento do desempenho cognitivo, melhor circulação, proteção do tecido nervoso e proteção contra os radicais livres (antioxidante). Estes têm implicações para várias condições e doenças. Mais notavelmente, pesquisas científicas sugerem que o Ginkgo poderia ser usado para ajudar no tratamento da doença de Alzheimer e da demência.

Os compostos dentro do Ginkgo não apenas protegem as células da deterioração, mas também aumentam a memória e a função cognitiva. Embora mais pesquisas clínicas sejam necessárias, as pesquisas realizadas sugerem que o uso do Ginkgo pode ser tão eficaz quanto os medicamentos inibidores da acetilcolinesterase prescritos.

Outros usos populares de Ginkgo incluem o tratamento de tontura e zumbido. O aumento do fluxo sanguíneo para o sistema nervoso central pode reduzir o impacto dos distúrbios relacionados aos nervos, reduzindo assim esses sintomas. Vale a pena notar que os distúrbios relacionados aos nervos, como tontura, vertigem e zumbido são difíceis de tratar, mas o Ginkgo pode oferecer algum grau de alívio para as pessoas, mesmo que seja apenas um pouco.

Isso leva ao outro grande uso do Ginkgo, como um impulsionador da circulação. Aqueles com má circulação, como os que sofrem de pressão baixa, síndrome de Raynaud, doença de altitude e claudicação intermitente podem se beneficiar da capacidade do Ginkgo para aumentar a função circulatória.

Ginkgo afeta positivamente uma ampla gama de sistemas dentro do corpo, apoiando o sistema circulatório, protegendo as células e melhorando a função cognitiva. Assim, todos os órgãos do corpo se beneficiam. Isto torna o Ginkgo um suplemento diário ideal, e não é de estranhar que alguns profissionais de saúde recomendem a sua utilização como um complemento para uma vasta gama de doenças.

OS EFEITOS COLATERAIS DO GINKGO

EFEITOS COLATERAIS DO GINKGOEFEITOS COLATERAIS DO GINKGO

Existe um risco muito baixo associado ao uso de Ginkgo, no entanto, pesquisas descobriram que o Ginkgo pode causar efeitos colaterais indesejados em certas pessoas, mais especificamente, aqueles que:

  • Sofrem de graves disfunções circulatórias
  • Tomam medicamentos anticoagulantes (como a aspirina)
  • Tomam certos tipos de antidepressivos
  • Gestantes

Nota: Estudos recentes sugerem que o Ginkgo tem um impacto mínimo sobre aqueles que tomam anticoagulantes, mas ainda é aconselhável precaução nesse caso.

Os efeitos colaterais nestas condições incluem:

  • Um risco aumentado de hemorragia
  • Náusea
  • Desconforto gastrointestinal
  • Dores de cabeça
  • Diarréia
  • Inquietação
  • Palpitações cardíacas

Como tomar

Não há dose padrão estabelecida para tomar o Gingko Biloba. Diferentes formulações e doses têm sido usadas em pesquisas que investigam o efeito da erva em várias condições. A dose certa para você pode depender de vários fatores, incluindo sua idade, sexo e histórico médico por exemplo.

Porém, especialistas aconselham que os consumidores iniciem o suplemento com uma dose menor (não mais de 120 mg por dia) para evitar efeitos colaterais. A partir daí, você poderá aumentar para uma dose maior, conforme necessário.

Como sempre, fale com o seu médico para obter aconselhamento personalizado sobre a dose certa para você.

Vale a pena notar que as preparações que utilizam o Ginkgo são consideradas seguras, e os efeitos colaterais são raros.

Leidiana Torres

Sobre o autor | Website

Bacharel em Enfermagem e fundadora do Mente Sã Corpo São. Contato: leidianatdn@gmail.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.