Remédios Naturais Saúde Saúde e Bem Estar Leidiana Torres

Enem: como a Aromaterapia pode melhorar a memória dos candidatos

Os benefícios da Aromaterapia para quem vai prestar Enem no próximo domingo são inúmeros. Segundo o naturopata Daniel Alan Costa, professor de fitoterapia na USP e coordenador do curso de pós-graduação em Naturopatia na UNIP, há vários óleos essenciais que podem ajudar no momento da prova.

A aromaterapia pode auxiliar a sua memória

“A Lavanda (Lavandula angustifolia) e a Camomila Romana (Chamaemelum nobile) podem ser utilizadas para equilibrar o emocional do candidato e oferecer tranquilidade na hora do exame, já que é mais do que normal ficar nervoso ou ansioso antes e durante a prova. O Alecrim (Rosmarinus officinalis), por exemplo, é excelente como fortalecedor de memória e ajuda a relembrar o conteúdo estudado”, afirma o especialista.

Óleos essenciais que podem ajudar no momento da prova

Segundo Alan, a reputação do Alecrim como estimulante do cérebro vem da época da Grécia antiga. “Naquela época os estudantes, durante o período de provas, já usavam raminhos da erva no cabelo, pois eles perceberam que a essência conforta o cérebro, aguça a compreensão, restaura a memória perdida e desperta a mente”, afirma o naturopata.

Propriedades harmonizadoras dos óleos essenciais 

Outros óleos essenciais indicados para concentração precária e fadiga mental são o de Menta (Mentha piperita), o de Patchouli (Pogostemon cablin), que além de auxiliar na falta de concentração, alivia a ansiedade em condições relacionadas ao estresse e o de Tomilho branco (Thymus vulgaris – ct linalol) que ativa as células do cérebro, estimulando a memória e favorecendo a concentração. Já o óleo essencial de Vetiver (Vetiveria zizamoides) descontrai profundamente sendo útil para quem precisa concentrar as suas energias, como é o caso dos candidatos.

“As propriedades harmonizadoras dos óleos essenciais vão oferecer um equilíbrio físico, mental e emocional duradouros aos candidatos, extremamente importante no momento da prova. Mas é importante lembrar que os óleos essenciais não podem ser usados diretamente na pele. Neste caso, a sugestão é o de inalar o aroma profundamente diretamente do vidro ou utilizar os colares aromatizadores individuais. Imediatamente já haverá estímulos das partes do cérebro relativas a memória e emoção”, finaliza Alan.

Daniel Alan Costa é especialista em Bases de Medicina Integrativa pelo Albert Einstein, professor de fitoterapia na USP, Naturopata, Acupunturista membro da WFCMS (World Federation Chinese Medicine Societies), coordenador do curso de pós-graduação em Naturopatia da UNIP e coordenador geral dos cursos do Instituto Imparare.

Leidiana Torres

Sobre o autor | Website

Bacharel em Enfermagem e fundadora do Mente Sã Corpo São. Contato: [email protected]

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.